Antes e depois – Bibi

“A Bibi foi resgatada em agosto de 2008. Foram vários meses até conseguir pegá-la, era muito arisca e corria de todo mundo. Demorou algumas semanas para ela perceber que seria amada e que o abandono fazia parte do seu passado.  Não consigo imaginar como alguém teve coragem de abandonar um ser tão amoroso e companheiro. Todos os outros meus cães também são de rua, mas a Bibi é diferente… Não consigo ficar longe dela. Me acompanha no trabalho todos os dias, é nossa princesa!” – Magali

 

Bibi - antes

Bibi – antes

Bibi - depois

Bibi – depois

Anúncios

Antes e depois – Julye

“A história de Julye e eu começou  em dezembro de 2010 em um rigoroso inverno com muita neve em uma cidade de New York, chamada New Rochelle. Ela  deveria ter uns seis meses mais ou menos, começou se escondendo da neve na garagem, muito selvagem, brava mesmo; comecei a alimentá-la, ate que consegui  pega-lá e então a mantinha presa dentro do meu apartamento e, aos poucos, ela foi amansando  ate que não se escondia mais quando chegávamos em casa. Hoje a Juju nos retribui tudo que demos a ela. Ela ficou linda, é um show.” – Maria

Julye - antes

Julye – antes

Julye - depois

Julye – depois

Antes e depois – Rex

“O Rex, um cachorro idoso, foi encontrado por protetores da ONG SOS Bichos em um lixão da cidade de Pouso Alegre/MG, faminto, imundo, com fome e sede, quase cego, sem dentes e com uma marca de corda no pescoço por ter ficado muito tempo preso em um espaço minúsculo.

Precisava muito de um lar ‘temporário’ para se tratar até achar um dono definitivo. Nos propusemos a abrigá-lo aqui durante seu tratamento, porém, quem não se apaixonaria?

Durante seu tratamento o amor só cresceu, e depois de menos de 6 de meses o Rex estava curado! Tudo o que ele precisava era um pouco de amor, carinho e atenção”. – Érika

 

Rex - antes e depois

Rex – antes e depois

Antes e depois – Lion

“O VIPA (Voluntários Independentes de Proteção Animal) é um grupo formado por protetores de Fortaleza. Todo mês recebemos a mensalidade de R$12 dos membros do grupo e usamos o dinheiro para ajudar animais abandonados. Um dos casos que o VIPA assumiu foi do LION, um cão que estava em estado lastimável em uma das avenidas mais movimentadas de Fortaleza. O apelo no Facebook começou em JUN/2012, foi compartilhado 1539 vezes, e dias depois o Lion foi resgatado por nossos voluntários. O LION foi diagnosticado com Calazar e hoje o VIPA paga as despesas de seu tratamento. Em novembro ele foi adotado e hoje vive em um ambiente cheio de amor! Essa é a prova que o animal que tem Calazar não precisa ser sacrificado, com amor e dedicação conseguimos salvar uma vida e dar um futuro digno a ele”. – Rúbia

 

 

Lion - antes

Lion – antes

Lion - depois

Lion – depois

Antes e depois – Jayminho

“Este é Jayminho, o amor da minha vida, o ser mais incrível que já conheci. Eu o achei na rua, na lama, no dia 07/01/09, nesse estado que se vê na foto abaixo. Inicialmente pensei que tinha passado por algum tipo de violência ou acidente, mas logo nos primeiros dias de permanência dele na minha casa, percebi que tinha alguma coisa errada.

Ele não parava de coçar os ferimentos, e sangrava o tempo todo. Por isso o papelão, pois não achei nada melhor para protegê-lo dele mesmo. Assim, o tempo foi passando e o levei a vários veterinários, inclusive um veterinário dermatologista, e até hoje nenhum conseguiu descobrir a problema do Jayminho. Por isso ele vive com esta proteção 24 horas por dia. E a roupinha, ele usa não porque é bonitinho, mas para proteger o pescoço e o dorso que ele consegue coçar com as patas traseiras.

A coceira dele é compulsiva,  quando ele começa a coçar uma região do corpinho, não consegue parar e dessa forma se auto mutila. Mas apesar de tudo ele é um animalzinho muito feliz, vejo isto nos olhinhos dele todos os dias, porque ele tem uma família que o ama com todo o amor que pode oferecer, e que tudo já fez para curá-lo deste mal.” – Manu

 

Jayminho - antes

Jayminho – antes

Jayminho - depois

Jayminho – depois

Antes e depois – Fox

“No dia 26/08/2012 fui à casa de uma amiga quando me deparei com um cachorro da raça Akita que estava no quintal, muito debilitado. Soube da história que seu marido o tinha  visto há alguns dias na rua e assim o resgatou trazendo ele para casa, onde não foi assistido devidamente e, assim, piorava a cada dia. Me assustei quando vi aquela carinha olhando pra mim com sangramento nos olhos e muitas feridas, as orelhas pingavam sangue, as patinhas e a cabeça muito inflamada e cheias de bichinhos comendo ele, muito magro, com desnutrição onde chegava a andar cambaleando e desmaiando.

Fiz um apelo de emergência para a ONG Apata em Fortaleza e, com ajuda de protetores, conseguimos dar os primeiros socorros para o Fox. A partir daí me dediquei a ele que passou por tratamento para dermatite, sarna, desnutrição, anemia e Leishmaniose, sem falar que ele havia pêgo um trauma de não querer ficar sozinho, uivava muito alto, chorando, e só ficava quieto quando eu deitava no chão com ele e dava carinho, conversando até dormir.

Dei muito amor para o Fox, cuidado, carinho e mimo, a cada dia ele melhorava mais e mais. Depois de toda dedicação, meu maior medo era que ele não encontrasse uma família que continuasse com seu tratamento e desse o amor que ele merecia, mas Fox encontrou uma mamãe e uma avó que  hoje o amam muiiito, e sempre é compartilhado muitos vídeos e fotos de sua felicidade em meio a elas que não só o tratam como cachorro da casa, mas um filho peludo.
Hoje Fox não será mais abandonado, não estará mais com medo, com frio, com fome, com sede, com dor, e muito menos sozinho!” – Arethusa.

 

Fox - antes

Fox - depois

Fox – depois

Antes e depois – Kika

“Kika foi encontrada na rua de uma comunidade, magérrima e tomada por sarna, mal abria os olhos. Quem a viu, fez um apelo via internet. Vi e me comovi muito, por isso, logo me comprometi a dar lar temporário a ela, enquanto ficasse bem para ser adotada por alguém.

Primeiramente ela foi internada na clínica, onde ficou por cinco dias fazendo exames e recebendo o tratamento inicial. Quando fui buscar ela, era quietinha, mas sempre muito carinhosa, roçando em minhas pernas sempre que me via. Kika passou em torno de 02 meses trancada em um quartinho, enquanto era tratada para ficar saudável e ser colocada junto de meus outros gatos, até que finalmente ela recebeu alta e hoje está livre, gordinha e é muito, muito, muito sapeca. Nem de longe lembra aquela gatinha quieta, a não ser por continuar muito manhosa, nem que seja por alguns segundos, até sucumbir a tentação e atracar as mãos da gente, para morder sem dó. Rs.

Em nenhum momento a Kika desanimou, ela sempre comeu bem e tomou as medicações, como se tivesse ansiedade em ficar bem. Agora o lar não é mais temporário. A casa é dela, e meu coração também. Nada me faz mais feliz e me dá tanta paz, que ver um animal que estava tão doente e desprezado, vivendo agora tão plenamente feliz e amado. Com certeza a gente recebe em dobro tudo que faz por esses peludos. Aconselho todos a experimentarem! Salve um peludinho, e o adote! Ele vai fazer você muito feliz!” – Gisele

 

Kika - antes e depois

Kika – antes e depois