Antes e depois – Maya

“Encontramos a Maya numa tarde chuvosa, na calçada de casa. Ela estava fraca, suja e tremendo de frio. Não pensei duas vezes antes de pega-lá no colo daquele jeito mesmo e leva-lá pra casa pra tentar convencer meu pai a me deixar ficar com ela, caso os donos não aparecessem. Não foi uma tarefa difícil, a Maya contagiou todos os membros da família, mesmo encardida. Isso foi há 6 anos atrás e hoje a Maya Maria é uma cachorrinha alegre, feliz, bonita e até mais gordinha! Ela é definitivamente a alegria da casa e é extremamente mimada por todos, até mesmo dorme na cama!” – Rafaela

Maya - antes

Maya – antes

Maya - depois

Maya – depois

Antes e depois – Bibi

“A Bibi foi resgatada em agosto de 2008. Foram vários meses até conseguir pegá-la, era muito arisca e corria de todo mundo. Demorou algumas semanas para ela perceber que seria amada e que o abandono fazia parte do seu passado.  Não consigo imaginar como alguém teve coragem de abandonar um ser tão amoroso e companheiro. Todos os outros meus cães também são de rua, mas a Bibi é diferente… Não consigo ficar longe dela. Me acompanha no trabalho todos os dias, é nossa princesa!” – Magali

 

Bibi - antes

Bibi – antes

Bibi - depois

Bibi – depois

Antes e depois – Julye

“A história de Julye e eu começou  em dezembro de 2010 em um rigoroso inverno com muita neve em uma cidade de New York, chamada New Rochelle. Ela  deveria ter uns seis meses mais ou menos, começou se escondendo da neve na garagem, muito selvagem, brava mesmo; comecei a alimentá-la, ate que consegui  pega-lá e então a mantinha presa dentro do meu apartamento e, aos poucos, ela foi amansando  ate que não se escondia mais quando chegávamos em casa. Hoje a Juju nos retribui tudo que demos a ela. Ela ficou linda, é um show.” – Maria

Julye - antes

Julye – antes

Julye - depois

Julye – depois

Antes e depois – Lion

“O VIPA (Voluntários Independentes de Proteção Animal) é um grupo formado por protetores de Fortaleza. Todo mês recebemos a mensalidade de R$12 dos membros do grupo e usamos o dinheiro para ajudar animais abandonados. Um dos casos que o VIPA assumiu foi do LION, um cão que estava em estado lastimável em uma das avenidas mais movimentadas de Fortaleza. O apelo no Facebook começou em JUN/2012, foi compartilhado 1539 vezes, e dias depois o Lion foi resgatado por nossos voluntários. O LION foi diagnosticado com Calazar e hoje o VIPA paga as despesas de seu tratamento. Em novembro ele foi adotado e hoje vive em um ambiente cheio de amor! Essa é a prova que o animal que tem Calazar não precisa ser sacrificado, com amor e dedicação conseguimos salvar uma vida e dar um futuro digno a ele”. – Rúbia

 

 

Lion - antes

Lion – antes

Lion - depois

Lion – depois

Antes e depois – Fox

“No dia 26/08/2012 fui à casa de uma amiga quando me deparei com um cachorro da raça Akita que estava no quintal, muito debilitado. Soube da história que seu marido o tinha  visto há alguns dias na rua e assim o resgatou trazendo ele para casa, onde não foi assistido devidamente e, assim, piorava a cada dia. Me assustei quando vi aquela carinha olhando pra mim com sangramento nos olhos e muitas feridas, as orelhas pingavam sangue, as patinhas e a cabeça muito inflamada e cheias de bichinhos comendo ele, muito magro, com desnutrição onde chegava a andar cambaleando e desmaiando.

Fiz um apelo de emergência para a ONG Apata em Fortaleza e, com ajuda de protetores, conseguimos dar os primeiros socorros para o Fox. A partir daí me dediquei a ele que passou por tratamento para dermatite, sarna, desnutrição, anemia e Leishmaniose, sem falar que ele havia pêgo um trauma de não querer ficar sozinho, uivava muito alto, chorando, e só ficava quieto quando eu deitava no chão com ele e dava carinho, conversando até dormir.

Dei muito amor para o Fox, cuidado, carinho e mimo, a cada dia ele melhorava mais e mais. Depois de toda dedicação, meu maior medo era que ele não encontrasse uma família que continuasse com seu tratamento e desse o amor que ele merecia, mas Fox encontrou uma mamãe e uma avó que  hoje o amam muiiito, e sempre é compartilhado muitos vídeos e fotos de sua felicidade em meio a elas que não só o tratam como cachorro da casa, mas um filho peludo.
Hoje Fox não será mais abandonado, não estará mais com medo, com frio, com fome, com sede, com dor, e muito menos sozinho!” – Arethusa.

 

Fox - antes

Fox - depois

Fox – depois

Antes e depois – Lila

“Passeava perto de casa com meu cachorro quando encontrei uma cachorrinha preta, anoréxica e cambaleante num posto de gasolina desativado, no dia 03/07/2012, por volta das 11h30 da manhã.

Não pude ignorá-la e  chamei o taxicão para levá-la para o Hospital Veterinário da Universidade Estadual de Londrina e, indo pra lá, tinha que pensar num nome pra seu registro. Lila, é diminutivo de Leila, que significa “negra como a noite”. Cheguei lá, fizeram a triagem errada, não fui atendida na hora certa, perdemos a tarde toda, ela deixou de tomar soro pra se hidratar pois estava muito desidratada e desnutrida. Bati o pé e finalmente ela foi atendida, mas já não havia mais vaga para ela ficar internada. Detalhe: saí de lá a noite sem saber onde ela ficaria pois meu marido não me deixou levá-la pra casa.

Chamei o taxicão novamente e fui com ela pra uma clínica que tem plantão veterinário; eles não deixaram ela para o pernoite pela suspeita de cinomose (é justo), mas aí pedi água para dar a Lila e a clinica se negou a dar um pote de água a ela. Saí de lá chorando e um anjo chamado Ricardo apareceu, deu água e lar temporário para ela na empresa dele, do lado da clínica.

A Lila ficou lá por vinte dias e depois veio para uma semana de lar temporário, na casa da minha vizinha Juliana. Ela já tinha sido vacinada, medicada, fez exame e constatou-se que não tinha cinomose, pois o que ela tem é só uma sequela motora nas patas traseiras. No dia 29/07 ela foi adotada em uma feira de adoção que eu ajudo a promover pelo Facebook. Mas, no dia 26/10/11, ela foi devolvida e de brinde veio o Bidu, um filhote que ela amamentou depois de ter sido castrada.

Hoje ela está linda e com o pelo mais que lustroso, de lar temporário comigo e espero que ela seja adotada no dia 18/11/12, na nova edição da feira. INFELIZMENTE, meu marido não me deixa adotá-la” – Aline.

 

Lila - antes

Lila – antes

 

Lila - depois

Lila – depois