Ansiedade e momentos de separação

Atualmente, é comum verificarmos donos de cães que não têm tempo para levá-los para  passear quantos vezes gostariam de fazê-lo por dia, porque é preciso sair para trabalhar.

Daí então, fica o peso na consciência: “Vou deixar meu melhor amigo aqui, sozinho, o dia todo, sem nem ao menos dar uma voltinha à tarde?”

A falta de atividade física e toda a energia frustrada que você demonstra para o seu cãozinho pode gerar uma grande carga de ansiedade no animal.

A ansiedade pode causar aquele tipo de reação em momentos de separação, com choramingos, lamúrias e uivos. É normal que o cão tema de se separar de você. É natural, instintivo que ele se sinta triste ou se preocupe com a separação da matilha, mesmo que ela seja formada apenas por você e ele.

O que não é natural para um cão é ficar preso o dia todo em casa ou no apartamento, sem nada pra fazer. Ele não pode ler um livro ou fazer palavras cruzadas. A energia dele não tem pra onde ir quando você se ausenta. Não é a toa que muitos cães sentem ansiedade pela separação – e terminam com energia acumulada, extravasando-a quando os donos chegam da rua.

Nesses momentos é que você volta pra casa e encontra seu par favorito de chinelos todo mordido. Ele come os chinelos não por ter ficado bravo por ficar sozinho, mas por ter muita energia acumulada. Primeiro, ele sente seu cheiro nas peças de roupa. Depois, ao reagir à lembrança, ele fica agitado. Por não ter meios de extravasar toda essa energia e ansiedade, ele ataca os pobres chinelos.

Importante: não humanize seus cães. Use psicologia canina, e não humana para interpretar suas atitudes. Cães, instintivamente, precisam gastar energia. Faça isso e tenha um cão tranquilo e saudável, com energia calma dentro de casa.

 

Orientações para deixar seu cão sozinho em casa sem culpa

Leve seu cachorro para uma longa caminhada, para uma corrida ou mesmo para um passeio de patins logo pela manhã; isso faz bem para a saúde dos seres humanos também. Se não puder fazer isso, permita que o cão use a esteira enquanto você toma café ou se arruma.

Deixe-o cansado, de barriga cheia e precisando de um bom descanso. A mente dele estará calma e submissa, e fará muito mais sentido para ele ficar quieto pelo resto do dia. Também diminuirão as chances de ter um cão hiperativo recebendo-o na porta, quando você chegar.

Outro conselho: não faça alarde quando chegar ou sair de casa. Se você deixar transparecer agitação sem pre que chegar e sair, isso apenas alimentará a mente de um cão ansioso.

 

Comer, comer!

Ao evitar a agitação durante sua saída ou chegada em casa, o cãozinho ainda evitará ficar tanto tempo sem comer, como acontece em muitos casos quando os donos estão fora de casa. Muitas vezes eles associam o ato de comer com o momento alegre da chegada do dono, e só assim se alimentam. Evitando fazer destes momentos grandes eventos, ele irá desvincular uma ação da outra.

 

Referência: livro O Encantador de cães. Autor: Cesar Millan.

Dicas para saber se seu baby cat é macho ou fêmea

Um belo dia seu novo amigo felino chega em casa, ainda bebezinho. Então, você olha bem pra ele e tem a certeza de que é uma linda menininha. Alguns meses mais tarde, depois de muitos lacinhos e apelidos carinhosos de mocinha, ao observá-lo novamente, você descobre que ela, na verdade, é ele.

não sou menina!!!!

Pois bem. Não cair no erro é realmente complicado. Para acertar de primeira, ficam aqui nossas dicas:

Dica 1

Se o filhotinho de gato for tricolor, ou possuir cores ímpares, há grandes chances de ser uma fêmea.

Dica 2

Ao contrário de filhotes de cachorro, que o pênis e os testículos são claramente visíveis, no gato devemos levantar delicadamente o rabo, olhar para o espaçamento entre o ânus e o órgão sexual e o formato do mesmo. No macho, o espaçamento entre o ânus e o pênis é relativamente grande, e este é usualmente escondido. Já na fêmea,  o ânus e a abertura vaginal são bem perto e a vagina parece mais com uma fenda do que com um buraco.

Para descobrir, vire o bichano de barriguinha para cima e observe:

Se encontrar (dois pontos) é macho. Se encontrar (ponto e vírgula) é fêmea.

Deixar seu gato feliz é muito mais simples e barato do que você imagina

Quando vamos receber um gatinho em casa, na ansiedade de mimá-lo com tudo o que existe de melhor, logo vamos à um super pet shop para comprar todos aqueles brinquedos caríssimos: mega arranhadores, caminhas gigantescas e super confortáveis, ratinhos de dar corda, bolinhas de todo tipo de material.

E então, com o tempo, descobrimos que eles são muito mais simples do que imaginamos ao nos depararmos com o bichano se divertindo a beça com…

uma bolinha de papel

fitas de todas as cores e tamanhos

caixas de papelão

um rolo de papel higiênico.

um balde.

seus tênis

qualquer lugar que pareça minimamente confortável pra ele dormir

seu sofá

Pois é. Simples assim!

Borrifador – o mais eficiente educador de gatos

 

Se seu(s) gato(s) de estimação tem maus hábitos como arranhar o sofá, querer comer a comida do seu prato, roubar a comida do cachorro, subir em lugares que ele não deve ou outras traquinagens mais, apresentamos aqui o melhor e mais eficiente educador de gatos: o borrifador com água!

 

Educador.

 

Ele não fere, não maltrata, não irrita e é muito eficiente. Ao ver que seu felino está prestes a aprontar alguma, mire o borrifador em seu focinho e lhe espirre um pouquinho água. Na terceira ou quarta vez, nem será mais necessário borrifar; bastará apontar o “educador” e seu gato rapidamente se afastará. Simples, eficiente e barato.

 

Há também quem prefira incomodá-los fazendo barulho com pedrinhas dentro de latas, por exemplo. Neste caso, a não-adepta sou eu, porque detesto barulho. Mas, se funcionar com você, vale a pena usar na educação dos bichanos, porque eles também precisam ser educados.

 

..

 

Faça o teste e conte pra gente como foi!

 

A teoria do riso e do “ron ron”

Os motivos pelos quais rimos têm sido pensados há séculos. Imagine-se que, para Platão, filósofo grego, rir era uma manifestação de arrogância. Já Demócrito, também filósofo grego e contemporâneo de Sócrates, ficou conhecido como “o filósofo que ri”, embora risse sobretudo devido à estupidez humana. Na verdade, a Teoria do Alívio (de Freud) diz-nos que o riso é fundamental para o bom funcionamento do nosso organismo. Nunca se riu após uma situação de stress ou mesmo sem razão aparente? É natural – esse riso ajuda o organismo a libertar a tensão acumulada.

Como rir é mesmo o melhor remédio, há melhorias significativas no nosso corpo: as artérias dilatam, o que faz com que a pressão arterial baixe; as contracções dos músculos abdominais aumentam o fluxo sanguíneo nos orgãos; liberta endorfinas, que reduzem a sensibilidade à dor e melhoram o humor de quem ri. E os benefícios não ficam por aqui. Perguntem aos gatos que, se falassem, diriam maravilhas do seu ronronar e das plataformas vibratórias tão em voga hoje em dia.

Está cientificamente provado que as frequências do ronronar dos gatos (entre 25 e 150 Hertz) podem melhorar a densidade óssea e promover a regeneração dos orgãos – é uma espécie de “riso felino”. Este facto foi utilizado pela NASA que patrocinou o primeiro aparelho vibratório que ajuda os astronautas no fortalecimento ósseo, durante as viagens aos espaço e aquando da sua chegada a terra firme. Os felinos podem não ser os melhores amigos do homem, mas para lá caminham.

Texto retirado do site Obvious. Mais teorias malucas, leia aqui.

O mistério das massagens de Cherrie

E aí que eu (Marina, mantenedora das redes sociais do Animal Mundi), percebi que minha gata mais velha, de oito meses, criou o hábito de subir nas minhas costas, pernas ou braços quando estou deitada pra fazer “massagem”.

Mas, ora essa. “Gatos não sabem massagear”, pensei comigo. Então, resolvi abrir o caso com o @petsaudavel, que oferece em seu Twitter dicas sobre alimentação, primeiros socorros e cuidados diversos com o pet para tentar entender o fenômeno. Fiquei encantada com a resposta e decidi compartilhar com vocês:

@animal_mundi Quando bebês, eles fazem isso para estimular a saída do leite das tetinhas da mãe. É um comportamento que eles associam…

@animal_mundi à sensação de conforto depois de adultos, e continuam fazendo sempre que estão se sentindo aconchegados, felizes.

@animal_mundi Alguns experts também dizem que é um movimento que faz as glândulas das patinhas liberarem secreções, demarcando o território.

Pra tentar ilustrar melhor, imaginem que, no caso, eu seria esse cachorro do vídeo abaixo. Invejem-me.

Animais domésticos: tê-los em casa faz bem até pra saúde

“Animais têm uma forma de encontrar as pessoas que deles necessitam, preenchendo um vazio que nem sequer elas sabem que têm”. Thom Jones (escritor americano)

Sabia que aquele cafunezinho gostoso que você faz no seu bichinho de estimação todos os dias proporciona, além do prazer na troca de carinho, o controle do estresse, a diminuição da pressão arterial e a redução no risco de problemas cardiovasculares?

Pois é. Pesquisas médicas realizadas na Austrália afirmaram que quem tem um bichinho de estimação em casa faz consultas com menor frequência a clínicos gerais e requerem menos medicação do que as outras pessoas. Há também diversos trabalhos científicos que apontam o quanto a interação do homem com o animal é capaz de reduzir problemas como depressão, ansiedade e solidão.

Diversos benefícios para o bem-estar físico e mental do ser humano também já foram comprovados, como: a diminuição da pressão sanguínea e da frequência cardíaca, melhora do sistema imunológico, da capacidade motora e da autoestima, incremento da interação social e, por fim, até uma ação calmante e antidepressiva.

Pesquisadores da África do Sul afirmam que conviver com animais ativa a liberação de diferentes hormônios e neurotransmissores como endorfina, dopamina, prolactina e oxitocina – motivo pelo qual ajuda na diminuição do estresse.

Motivos para ter um companheiro animal em casa

Amor incondicional

– A companhia de um “amigo de estimação” coloca o homem em contato com a natureza animal e faz despertar nele características como instinto e lealdade.

– Essa convivência torna possível uma relação baseada na confiança e no amor incondicional (aquele que não espera nada em troca). Não importa você faça ou diga porque ele estará sempre ali para receber e dar atenção.

– Fazer carinho nos animais produz um efeito terapêutico.

– Sair com animais de estimação para passear na rua sempre desperta a atenção de outras pessoas que param para perguntar sobre ele ou brincar com o bichinho. Dessa forma, é possível ainda aumentar seu círculo social de amigos.

Esses motivos bastam para você?