Você é responsável pelas ações e bem estar do seu pet

.

Blogs e sites de colegas que defendem a causa animal vêm tratando deste assunto com frequência, e nós também vamos continuar batendo nessa mesma tecla:  ter um animal de estimação em casa exige grandes responsabilidades, e quem se propor a criar um pet deve ter ciência disso.

Ter um cão, gato, piriquito, papagaio ou qualquer que seja o animal doméstico exige:

1. Visitar periódicas ao veterinário ao menos uma vez ao ano ou sempre que algum problema for verificado.

2. Fornecimento de água fresca e ração de qualidade. Dica: não deixa a comida no quintal, disponível o tempo todo. Espere que o animal coma e retire as sobras. Comida ou ração atraem baratas, pombos e ratos, que podem transmitir doenças para o animal e pra sua família.

3. Dê banho no seu pet uma vez a cada 15 dias.

4. Mantenha em dia as vacinas do seu animal. A vacina contra raiva costuma ser gratuita no Centro de Controle de Zoonozes durante o ano todo. Verifique o da sua cidade.

5. Vermifugue seu pet a cada três meses. Os vermes dos animais podem ser transmitidos para as pessoas.

6. Verificando a existência de carrapatos, procure orientação de um veterinário. Carrapatos podem transmitir febre maculosa.

7. Castre-os. A castração é indicada para cães e gatos, independente do sexo, e ajuda a prevenir doenças como tumores ou câncer no futuro do animal.

8. Nos passeios, use coleira, guia e mesmo a focinheira para evitar acidentes, não esquecendo de recolher as fezes.

Lembre-se: a saúde da sua família inclui a saúde do seu animal. Quem ama, cuida.

.

Anúncios

Todos estão surdos. Mudos e cegos também.

“Tanta gente se esqueceu
Que o amor só traz o bem
Que a covardia é surda
E só ouve o que convém”

Erasmo Carlos e Roberto Carlos

Diariamente, vemos casos de maus tratos aos animais. Constantemente, somos bombardeados com notícias sobre violência física, abandono, descaso, assassinatos. Todos os dias, as pessoas se comovem.

Mas será que apenas a comoção é suficiente? Será que só a indignação, a raiva, os xingamentos via redes sociais (que está tão na moda ultimamente) ou simplesmente ignorar os fatos porque eles lhe causam um “mal estar” salvarão as vidas destes animais?

Observe seus atos: será que a indignação pura é suficiente para colocar políticos corruptos na cadeia? Sua revolta calada basta para que seja feita a anulação de uma lei mal votada? Para combater enchentes? Para salvar a vida de pessoas carentes, crianças com fome, pais de família desesperados?

O poder esteve, está e sempre estará em nossas mãos. Exigir o que é nosso por direito deve ser uma praxe, mas diante de certas dificuldades, os mais fortes devem estender a mão aos mais fracos. Essa é a única obrigação do ser humano.

Sentir pena, lamentar ou ignorar problemas não muda absolutamente nada. Quando receber um pedido de ajuda, analise e pense bem se, de fato, não é capaz de auxiliar de alguma forma. Esteja sempre disposto a ajudar.

 

“A compaixão pelos animais está intimamente ligada a bondade de caráter, e quem é cruel com os animais não pode ser um bom homem”Arthur Schopenhauer

Carroceiro cria animais em lixão

Condições a cada dia mais precárias

Um lixão a céu aberto e cheio de restos de comida virou casa de cerca de 30 cães, além de gatos e galinhas. Quem leva os animais para o local é um carroceiro, identificado como José Padilha, que invadiu terreno da Prefeitura às margens do Córrego dos Ourives, no fim da Rua Patagônia, no bairro Taboão, divisa de São Bernardo com a Capital. Muitos dos animais têm sarna e bicheira.

Segundo vizinhos, o carroceiro, que não estava no terreno enquanto a equipe do Diário vistoriou o local, é agressivo e não permite que os animais sejam tratados, castrados e doados. Há relatos de que ele abusa sexualmente das cadelas. “Os animais precisam sair daqui, e esse terreno deve ser limpo”, diz a professora Thailla Santana Sousa, 25 anos.

Há pelo menos um mês, ela e duas amigas, a blogueira Marina Fujii, 25, e a psicóloga Maira Chittero de Oliveira, levam ração e tentam, em vão, retirar os bichos de lá. “Até agora conseguimos resgatar apenas duas cadelas, que estão para adoção. Mas há várias que ele não deixa chegar perto e, sem castração, os bichos estão se reproduzindo aos montes”, disse Maira. Atualmente há duas cadelas prenhas.

Segundo a Prefeitura, em julho do ano passado houve intervenção no terreno, com a participação de agentes de várias secretarias, como de Saúde, Desenvolvimento Social e Cidadania, Gestão Ambiental e Serviços Urbanos, além da Guarda Municipal. Na ocasião, foi recolhida grande quantidade de lixo e o acesso à área foi interditado. Houve tentativa de convencer o catador a deixar o terreno, mas ele se recusou. O Centro de Controle de Zoonoses apreendeu oito cavalos durante a ação.

Padilha invadiu novamente o local em poucos dias. A limpeza do terreno é periódica, mas não dá conta do acúmulo de lixo. A última foi feita pela Secretaria de Serviços Urbanos no dia 16. Em menos de dez dias, o carroceiro acumulou montanhas do tamanho de uma pessoa de 1,70 m. E, ao menos por enquanto, o problema segue semsolução.

Matéria: Camila Galvez

Do Diário do Grande ABC

Link: http://www.dgabc.com.br/News/5959822/carroceiro-cria-animais-em-lixao.aspx

Animais domésticos: tê-los em casa faz bem até pra saúde

“Animais têm uma forma de encontrar as pessoas que deles necessitam, preenchendo um vazio que nem sequer elas sabem que têm”. Thom Jones (escritor americano)

Sabia que aquele cafunezinho gostoso que você faz no seu bichinho de estimação todos os dias proporciona, além do prazer na troca de carinho, o controle do estresse, a diminuição da pressão arterial e a redução no risco de problemas cardiovasculares?

Pois é. Pesquisas médicas realizadas na Austrália afirmaram que quem tem um bichinho de estimação em casa faz consultas com menor frequência a clínicos gerais e requerem menos medicação do que as outras pessoas. Há também diversos trabalhos científicos que apontam o quanto a interação do homem com o animal é capaz de reduzir problemas como depressão, ansiedade e solidão.

Diversos benefícios para o bem-estar físico e mental do ser humano também já foram comprovados, como: a diminuição da pressão sanguínea e da frequência cardíaca, melhora do sistema imunológico, da capacidade motora e da autoestima, incremento da interação social e, por fim, até uma ação calmante e antidepressiva.

Pesquisadores da África do Sul afirmam que conviver com animais ativa a liberação de diferentes hormônios e neurotransmissores como endorfina, dopamina, prolactina e oxitocina – motivo pelo qual ajuda na diminuição do estresse.

Motivos para ter um companheiro animal em casa

Amor incondicional

– A companhia de um “amigo de estimação” coloca o homem em contato com a natureza animal e faz despertar nele características como instinto e lealdade.

– Essa convivência torna possível uma relação baseada na confiança e no amor incondicional (aquele que não espera nada em troca). Não importa você faça ou diga porque ele estará sempre ali para receber e dar atenção.

– Fazer carinho nos animais produz um efeito terapêutico.

– Sair com animais de estimação para passear na rua sempre desperta a atenção de outras pessoas que param para perguntar sobre ele ou brincar com o bichinho. Dessa forma, é possível ainda aumentar seu círculo social de amigos.

Esses motivos bastam para você?